tribuna socialista

terça-feira, outubro 12, 2010

PCP: POSIÇÃO RIDICULA A PROPÓSITO DO NOBEL DA PAZ!


Os "perigosos" Nobel da Paz 2010 e esposa, entretanto já colocada em prisão domiciliária pelo governo chinês
 "Num curto comunicado enviado hoje às redacções, e divulgado “face a solicitações de vários órgãos de comunicação social”, o gabinete de imprensa do PCP defende que a atribuição do Nobel a Liu Xiaobo é “inseparável das pressões económicas e políticas dos EUA à República Popular da China”.

De acordo com os comunistas portugueses, a escolha do dissidente chinês “é, na linha da atribuição do Prémio Nobel da Paz de 2009 ao Presidente dos EUA, Barack Obama, mais um golpe na credibilidade de um galardão que deveria contribuir para a afirmação dos valores da paz, da solidariedade e da amizade entre os povos”." (in, Público on-line)

Atado a posições nacionalistas e politicamente vesgas, a direcção do PCP, a propósito da escolha de um dissidente chinês, Liu Xiaobo, para Nobel da Paz, tomou uma posição absolutamente miserável e que a torna cúmplice com um regime que de "socialista" e/ou "comunista" só tem o nome.

A posição da direcção do PCP sobre a China, vem no seguimento de outras posições individuais de dirigentes comunistas sobre o regime totalitário e anti-socialista da Coreia do Norte.

A direcção do PCP parece que continua a avaliar a situação internacional, tendo por referência as posições dos EUA. Ou seja, o que o EUA apoiar é, para o PCP, suspeito e, desde logo, merece a sua oposição. É uma posição que decorre da sua visão patrioteira e estalinista sobre a construção do socialismo num só país, uma espécie de construção de "aldeias do Astérix", onde poderem surgir ...

A situação na China, não se resume óbviamente, à escolha de determinada pessoa para Nobel da Paz. Na China assiste-se ao acordar dos trabalhadores que se têm movimentado, um pouco por todo o lado, contra salários de miséria, contra jornadas de trabalho inumanas e escravizantes, contra uma vida sem quaisquer direitos. Desde um ponto de vista socialista, esta é a referência para a avaliação do que se passa na China. E, com base nisso, a China não é mais do que um país com um regime totalitário à procura de entrar para o clube dos grandes países capitalistas.

O Partido "Comunista" Chinês e a sua correia-de-transmissão sindical, comportam-se como entidades que só se preocupam em controlar os trabalhadores e os cidadãos, tornando-os uma espécie de massa amorfa a quem só é permitido reagir a impulsos nacionalistas e de adaptação ao mais miserável modo de vida capitalista e neo-liberal.

O socialismo precisa de liberdade como o corpo humano precisa de oxigénio, mas isto os estalinistas e neo-estalinistas dos nossos dias, a nível nacional e internacional, teimam em não perceber !

2 comentários:

RAA disse...

Sempre a mesma firmeza ideológica -- do Pacto Germano-Soviético à monarquia da Coreia do Norte.

josé manuel faria disse...

Não há um único militante do PCP que afirme publicamente o seu desacordo?

De António Filipe a Vítor Dias, nada!