tribuna socialista

terça-feira, dezembro 29, 2015

sábado, dezembro 26, 2015

TRIBUNA SOCIALISTA: vem aí, outra vez, a versão em papel ...

No início de 2016, voltará a versão em papel de TRIBUNA SOCIALISTA.

Somos um espaço socialista revolucionário, libertário e democrático que existe desde 1999.

Debater com todas as correntes de esquerda que têm uma perspectiva não autoritária, anti-capitalista com proposta socialista, com dimensão internacional, em busca de uma convergência que construa alternativa, continua a ser um dos nossos objectivos.


A capa que sugerimos para um hipotético número de Dezembro de 2015, seria esta que reproduzimos.

Em 2016, sentimos que a luta vai mesmo ter de continuar para que o governo PS com o apoio de toda a esquerda parlamentar aplique políticas de esquerda, de recuperação de justiça social, que não ceda às chantagens desta Europa, através do seu braço chamada "Comissão Europeia". Algo que não é eleito, não é democrático e só conhece a imposição de políticas de direita, das quais a austeridade é uma das expressões.

Políticas de esquerda são políticas democráticas com sentido socialista de recuperação e dignificação do Trabalho, de profunda reorganização e racionalização do sector financeiro, de reposição de salários, pensões e prestações sociais, de justiça fiscal, ...

2016 será um ano exigente!

terça-feira, dezembro 22, 2015

UMA BANCA ÚNICA E PÚBLICA COM GESTÃO SOCIALIZADA !

À esquerda e à direita os escândalos que se sucedem na gestão dos bancos, recolhem, na grande maioria das reacções, a enumeração de factos que podem ter contribuído para que se consumasse cada desastre.



As "soluções" que se apontam variam entre umas pinceladas mais de "supervisão" a apelos à moralidade da raposa que supervisiona o galinheiro ...
Já com algum intervalo de tempo que permitiu reflectir sobre o assunto, o resultado da Comissão parlamentar de inquérito ao BES reflecte o unanimismo da constatação de factos e o unanimismo na incapacidade para se apontarem soluções.
Os apelos ao reforço da supervisão não eliminam nenhuma das causas que têm contribuido para a sucessão de desastres na banca. 




Devido à economia de casino, assente na necessidade de financeirização da sociedade, a banca (um pouco por todo o mundo e também em Portugal!) não está dimensionada para as necessidades da economia nacional. A banca está dimensionada para as expectativas de ganhos dos principais accionistas de cada banco!
A quantidade exagerada de bancos que operam no sistema financeiro deveria ser questionada. É uma questão política inadiável com reflexos evidentes nas necessidades e exigências da economia nacional. 



A gestão privada de cada banco obedece exclusivamente à opacidade do relacionamento entre os principais accionistas e quem dá a cara pelo banco: os conselhos de administração. Pode o supervisor Banco de Portugal produzir toneladas de avisos, directivas e regulamentos ... isso não passará de palavreado em relação ao qual a máquina opaca de cada banco se encarregará de desenhar a melhor finta.




Já são muitos os exemplos que mostram que as consequências da gestão privada e opaca dos bancos num número imenso de empresas bancárias acabam sempre por acertar nos contribuintes perante a estátua chamada Banco de Portugal e os governos que parece que agem como moços de recados do supervisor europeu.
Um sistema financeiro quase totalmente com gestão privada não é regulável mantendo-se a economia de casino. É a institucionalização do jogo do gato e do rato num plano onde esses jogos não podem acontecer!




O sistema financeiro tem de ter uma dimensão adequada às exigências de uma economia nacional e tem de ser objecto de uma única gestão única, rigorosa, pública e socializada.
A defesa de uma banca única e pública com gestão socializada (que comprometa os agentes económicos e sociais) parece-me ser o único caminho capaz de evitar novos e mais desastres.
Bem sei que a Comissão Europeia e o modelo financeiro que impõe, é um obstáculo a qualquer mudança. 




O único caminho para se vencer esse obstáculo é a luta com dimensão europeia, através da interligação de todas as acções que visem essa mudança racional num sistema financeiro que tem minado economias nacionais, europeias e mundiais.
Por cá, vive-se o episódio BANIF, que sucede a outros e antecede outros que já se preparam ... para deleite de muitos comentadeiros!


João Pedro Freire

segunda-feira, dezembro 21, 2015

sexta-feira, dezembro 04, 2015

ACOLHIMENTO DE REFUGIADOS: ALIMENTAÇÃO E NECESSIDADES NUTRICIONAIS EM SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA

Iniciativa meritória e de grande utilidade prática da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS):
"(...) Trata-se de um documento inovador a nível nacional, utilizando a evidência científica mais recente proveniente de organismos internacionais e útil para quem ajuda, tanto em Portugal e a nível Europeu, no acolhimento a refugiados.



A sua inovação relaciona-se também com o fato de ser construído tendo em conta os produtos alimentares existentes em Portugal e a nossa cultura alimentar mediterrânica. Pretende-se estabelecer um referencial para a intervenção nutricional e alimentar aos refugiados que chegam a Portugal produzido por uma equipa multidisciplinar que ao longo de meses integrou nutricionistas, dietistas, médicos, veterinários, psicólogos e especialistas em relações internacionais
Destina-se a todos que prestam apoio, quer a nível individual quer a nível institucional.(...)"
Veja como é AQUI.



sexta-feira, novembro 27, 2015

MARCHA MUNDIAL PELO CLIMA ! 28-29 de Novembro de 2015 ...

‪#‎MarchaMundialDoClima‬ 28/29 NOVEMBRO
TODOS OS EVENTOS EM PORTUGAL
BRAGA: Marcha Global do Clima – Braga
29 de novembro, Domingo, 15h00, Praça da República
https://www.facebook.com/events/1654023228202903/
COIMBRA: Marcha Global pelo Clima
29 de novembro, Domingo, 15h00, Prada da República
http://www.kriscer.org/#!marchaglobalpeloclima/rx6m2
https://www.facebook.com/events/1267727536587680/
FARO: Encontro pelo clima
28 de novembro, Sábado, 17h00, Mercado Municipal de Faro
https://www.facebook.com/events/439132862941891/
FÁTIMA: Altar do Mundo e as novas consciências
29 de novembro, Domingo, 21h00, Santuário de Fátima
https://www.facebook.com/events/897275666994993/
LISBOA: Marcha Mundial do Clima – Lisboa
29 de novembro, Domingo, 15h00, Martim Moniz
https://www.facebook.com/events/182123432128567/
LISBOA: Lavadeir@s em acção
30 de novembro, Segunda-feira, 17h00, Fundação Calouste Gulbenkian
https://www.facebook.com/events/1054829174579932/
PORTO: Exibição de "Isto Muda Tudo"
27 de novembro, Sexta-feira, 21h30, Cinema Passos Manuel
http://www.campoaberto.pt/?p=1711929
https://www.facebook.com/events/555999224564764/
PORTO: Marcha Mundial dos Cidadãos pelo Clima
29 de novembro, Domingo, 15h00, Largo do Terreiro
https://www.facebook.com/events/1663987577212025/
TAVIRA: Evento de Cidadania Activa Pelo Clima e Pela Paz
Conferências ASMAA e PALP – Exposição de ARTE Algarve Livre de Petróleo:
27 de novembro, Sexta-feira, 14h00 – 20h30, Biblioteca Municipal Alvaro de Campos
TAVIRA: Ciclo de Cinema Documental Sobre Transição Eco-Social com a exibição do filme “IN TRANSITION 2.0”
27 de novembro, Sexta-feira, 21h00, Clube de Tavira
https://www.facebook.com/events/510732422422636/
TAVIRA: Marcha Global Climática
29 de novembro, Domingo, 10h00, Praça da República
https://www.facebook.com/events/520962031401552/
VOUZELA: Caminhada pelo Ambiente
29 de novembro, Domingo, 9h45, Largo da Feira
http://matasustentavel.weebly.com/calendaacuterios.html
Global Climate March – o site internacional
http://globalclimatemarch.org/en/
Todos os eventos/ações, em atualização:
https://climaximo.wordpress.com/…/marcha-mundial-do-clima-…/

sábado, novembro 14, 2015


MASSACRES DE PARIS: DAESH ASSASSINO!

Daesh reivindicou os massacres de ontem à noite em Paris: pelo menos 128 mortos e mais de 200 feridos , abatidos como animais enquanto estavam sentados em terraços de cafés ou dentro de um concerto. Um horror. O terrorismo islâmico-fascista voltou a atacar. O movimento operário só pode repudiar tais métodos. Afirmamos a nossa total solidariedade com as vitimas e os seus familiares.


Massacres de Paris: Daesh assassin

By 
Daesh vient de revendiquer les massacres d’hier soir à Paris: au moins 128 morts et plus de 200 blessés, des gens innocents, abattus comme des chiens aux terrasses des cafés ou dans un concert, une horreur. Le terrorisme islamo-fasciste a encore frappé. Le mouvement ouvrier ne peut avoir qu’envie de vomir devant de telles méthodes. Nous affirmons notre solidarité totale avec les victimes et leurs proches.
in english:
Dash has just claimed responsibility for yesterday evening’s Paris massacres. There were at least 128 deaths and 200 people injured. They were slaughtered like animals while sitting on café terraces, or attending a rock concert. Islamic-fascist terror has struck again. Those from the workers’ movement can only feel sick in the stomach at these acts. We give absolute solidarity to the victims and those close to them. (translated by Andrew C.)


in italiano:
Daesh ha rivendicato la carneficina dell’ultima notte a Parigi: almeno 128 morti e oltre 200 feriti, persone innocenti massacrati come cani mentre erano seduti all’aperto davanti ai caffè o in concerto, un orrore. Il terrorismo islamofascista ha di nuovo colpito. Il movimento operaio può solo avere voglia di vomitare davanti a tali metodi. Affermiamo la nostra totale solidarietà alle vittime e ai loro parenti.(tradotto da Fabienne M.)
in russian:
Группировка ИГИЛ только что взяла на себя ответственность за убийства, совершенные вчера вечером в Париже. Как минимум 128 человек погибло и более 200 ранено. Ни в чем не повинных людей, сидящих на террасах кафе или слушающих выступление рок-музыкантов, убивали точно на бойне. Исламо-фашистский террор нанес еще один удар. Движение трудящихся может испытывать к подобным действиям только глубочайшее отвращение. Мы заявляем о своей полной солидарности с жертвами этого преступления и их близкими.
Premiers signataires:
  • Stéphane J., co-administrateur de La Bataille socialiste, militant deSolidarité Irak
  • Fabienne M., collaboratrice de La Bataille socialiste
  • Patrice L., militant syndical
  • Zacharie L., militant libertaire et syndicaliste
  • Andrew C., militant anglais, administrateur du blog Tendance Coatesy
  • Alexei G., Praxis Research & Educational Center (Moscou)
  • Nicolas D., militant de Solidarité Irak
  • Sophie B., militante syndicale
  • Mickaël R., contributeur de La Bataille socialiste
  • Vincent P., militant politique et syndicaliste
  • Pierre L., militant de Démocratie communiste
  • David B., militant anglais de l’International Marxist-Humanist Organization
  • Germinal P., militant politique
  • Luddo A., syndicaliste
  • Flaviano S., militant italien
  • Louisane L., militante québécoise pour les droits des personnes en situation de handicap
  • Julia G., Praxis Research & Educational Center (Moscou)
  • Alexander S., rédacteur-en-chef de Безродный космополит
  • Andreï O., militant syndical russe
  • Olivier P., militant spartakiste
  • Boris S., militant écologiste russe
  • João Pedro F., militant portugais,  administrateur du blog Tribuna socialista

quinta-feira, outubro 01, 2015

É preciso VOTAR e VOTAR CONTRA A AUSTERIDADE!

Vale a pena VOTAR!
O direito de votar não foi uma benesse mas um direito arduamente conquistado com a luta de muita gente.



O direito de VOTAR passa também pela denúncia do hiper-representativismo que tem tornado as democracias afastadas do controlo popular. 
Vota-se num dia, neste caso em 04 de Outubro, mas a luta desenvolve-se nos quatro anos seguintes. Há 4 anos para criar condições para se MUDAR DE VIDA!
Mas quem luta tem de estar em todo o lado, atento a todos os palcos. E as eleições é mais um desses palcos!



Depois de anos de austeridade e de austeritarismo, i.e. as políticas e o programa do capitalismo neo-liberal, seria um crime não participar nestas eleições com uma posição de denúncia das consequências austeritárias na vida das pessoas que trabalham, que estão desempregadas, que são reformados, que são precários.
É preciso VOTAR e VOTAR CONTRA A AUSTERIDADE!
O voto em Portugal contra a austeridade não é um acto isolado. Faz parte da mesma luta de gregos e de espanhóis que também votarão em breve. Todos estes votos são a mesma luta de quem luta também contra uma Europa dominada pelas folhas de excel da finança e atrofiada no exercício pleno dos direitos democráticos da vontade popular.
É preciso VOTAR e VOTAR CONTRA A AUSTERIDADE!
A abstenção é um não-caminho, é baixar os braços!
É preciso VOTAR para que na Assembleia da República existam VOZES e VONTADES capazes de contrariar mais austeridade!




É preciso VOTAR para que essas vozes e essas vontades impeçam a repetição de governos já conhecidos e permitam soluções governativas com sentido de justiça social!
A luta fora da Assembleia da República fará o resto ...