tribuna socialista

segunda-feira, novembro 07, 2005

E FRANÇA?...

Para os governos europeus - os mesmos que foram derrotados na concepção de Europa que queriam impor através de uma "Constituição" liberal e anti-democrática - o que se passa em França parece resumir-se a uma questão de "ordem" que estará a ser perturbada por uma série de "gangs".

Os governos europeus solidarizam-se entre si para a "manutenção da ordem". Como fez o "socialista" governo de Sócrates em relação ao liberal governo de Sarkozy & Villepin. Todos entretidos na manutenção da ordem liberal, não conseguem ver que a revolta juvenil em França tem origem em anos e anos de marginalização, de desrespeito pelos direitos de comunidades emigradas, de inexistência de soluções para o desemprego, de atentados e mais atentados aos direitos sociais que são agora postos em causa pelas soluções que os governos liberais europeus (Sócrates incluido) impõem para a crise do seu próprio sistema!

A revolta que alastra a várias cidades francesas, não é resoluvel com mais músculo e com a perpetuação de remédios que já provaram que só agravam a doença!

Este é o momento para se repensar uma democracia que se tem vindo a afunilar e a adquirir um caracter crescentemente classista. É uma democracia que só pode ser exercida pelos que têm poder económico, financeiro ou de controlo de lobbies. Esta democracia é o espelho de um sistema liberal que está a rebentar pelas costuras...

Há anos atrás, a Argentina, considerada um modelo para as receitas do FMI e do Banco Mundial, explodiu! Agora é a França! ... Porque esperam as esquerdas para olhar para o Socialismo como a alternativa ao liberalismo, ao capitalismo e a todas as formas de totalitarismo?

Alguém considerava nos anos das guerras mundiais que a crise a Humanidade é a crise da direcção revolucionária! Uma constatação que é actual. Menos paleio, mais acção, mais clareza, mais determinação na definição de uma alternativa!

2 comentários:

Luta Social disse...

As "esquerdas" são co-organizadoras da "ordem" neo-liberal... daí a contradição no seu discurso e a sua impossibilidade de enfrentarem a realidade e de proporem uma saída socialista verdadeira.

Geosapiens disse...

...caro não há nada que justifique essa violência...nem mesmo a exclusão...quanto a estar a alastrar...dá impressão que é mais qualquer coisa que só revolta espontânea...um abraço...