tribuna socialista

sábado, julho 30, 2005

MANUEL ALEGRE: não está sózinho!

Mário Soares (que se diz amigo de Manuel Alegre) planeou com Sócrates (que por sua vez também já teria sondado Alegre para candidato presidencial) uma candidatura presidencial de um homem de esquerda (como é Mário Soares) que não perturbasse a governação do PS e que conseguisse, para já, "unir a esquerda" e calar a contestação social ...

É claro que Sócrates nunca poderia (nem conseguiria!) pôr o PS a apoiar o homem de quem gostaria para candidato da actual política governamental: Cavaco Silva! Também não se sentiria bem a apoiar quem lhe fez frente (com um claro programa socialista de esquerda!) na última eleição para secretário geral do PS: Manuel Alegre.

Mário Soares é, neste momento, para Sócrates o seu (muito diferente de Partido Socialista!) melhor candidato. Só que o Mário Soares candidato será, não o Mário Soares entusiasta do movimento anti-globalização capitalista ou o Mário Soares defensor da "unidade das esquerdas", mas o Mário Soares institucional, o Mário Soares do aparelho de Estado e dos compromissos que se fazem nessa qualidade, ou seja, um Mário Soares pronto a defender as políticas liberais de Sócrates em "nome do interesse nacional"! Mário Soares será um candidato escolhido por um aparelho partidário, só ....

Manuel Alegre não é isso. É importante e sintomático que prefira uma candidatura de afirmação poética em vez de afirmação política. É a assumpção de independencia de um homem de esquerda e socialista perante os jogos politiqueiros.

Manuel Alegre tem, neste momento, milhares de portuguesas e portugueses que esperam dele um passo de afirmação para uma candidatura socialista, de esquerda, e de esperança de uma presidencia que não vire a cara aos dramas sociais que o liberalismo continua a criar e a impor.

Manuel Alegre NÃO ESTÁ SÓZINHO!

Registamos o que escreve hoje no Expresso:

"Sei muito bem que estou sózinho. Mas enquanto me bater a guerra não está perdida, ainda que se me perguntassem que guerra é eu não soubesse ao certo responder. Diria talvez que é a guerra de um homem no meio do seu quadrado. Um homem que se bate, talvez em sonho, porque tudo se calhar é sonho. Sonho de um sonho, lembro-me de ter lido algures. Que importa? Sonho ou não, eles aí estão, tenho de defender o meu quadrado, não há outro sentido senão este, lutar até ao fim, um homem não se rende, não seria bonito, seria, aliás, se me permitem, uma falta de educação, uma grande falta de educação."

3 comentários:

Saramago disse...

Eu apoiarei Manuel Alegre.

SusanaRibeiro disse...

O Comércio do Porto ainda vive.
Leaim-nos em
ocomerciodoporto.blogspot.com

Arrebenta disse...

Aliás, o "candidado" Manuel Alegre conseguirira reunir uma amplíssima base de apoio, tipo aquele quadro do Malhoa, ou do Columbano,
já não sei bem,
em que está a Severa, mais quatro alcoólicos nos bancos, todos caídos para trás.
Encaixava tudo, as cores, a atmosfera, a actualidade, um profundo espírito séc. XXI.
A chamada Maioria Presidencial
Absoluta, aliás